autoatendimento

Banner - Notícias

Imagem da Notícia

UM OLHAR VOLTADO PARA NOSSOS TALENTOS

O Dia do Cooperativismo – Dia C – é um momento em que as cooperativas brasileiras celebram e compartilham com a comunidade suas iniciativas voltadas para a responsabilidade socioambiental. Normalmente, essas ações estão alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), abrangendo áreas como educação, saúde, bem-estar e promoção do trabalho decente, dentre outras, em sintonia com o 7º princípio do cooperativismo (Interesse pela Comunidade).

No mundo corporativo, as empresas se diferenciam umas das outras por diversos critérios de avaliação universalmente utilizadas, tais como: propósito, porte, segmento de atuação, volume de faturamento, quantidade de empregados, grau de tecnologia, qualidade dos produtos e serviços entregues a seus clientes, adesão às práticas de sustentabilidade e diversidade, dentre outros.

Mas o que sustenta as empresas no mercado é a alma. Isso mesmo! Uma empresa só se mantém viva no mercado quando desenvolve suas atividades com alma. E a alma de uma empresa é o espelho do nível de engajamento e comprometimento de seus funcionários com o propósito definido por seus idealizadores, acionistas e gestores.

Para se manter competitiva, uma empresa tem que investir em máquinas e equipamentos modernos, em tecnologia e na criatividade das pessoas que nela trabalham, buscando sempre aprimorar os processos produtivos para entregar a melhor qualidade dos produtos e serviços a seus clientes.

E para motivar a criatividade dos funcionários, as empresas cidadãs não poupam investimentos no desenvolvimento e no bem-estar das pessoas que nela trabalham, pois sabem que seu sucesso está diretamente relacionado com a capacidade de reter e desenvolver talentos. E terão mais talentos aquelas que se diferenciarem nas relações com seus funcionários, seja pela remuneração justa dentro de seu segmento de atuação, seja por melhores condições de trabalho ou por meio do pacote de benefícios ofertados a seu corpo funcional.

Muito se ouve falar das “melhores empresas para se trabalhar” (great place to work), normalmente avaliadas por meio de indicadores voltados para aferir o nível de satisfação de seus colaboradores com as condições de trabalho, remuneração e pacote de benefícios.

E no mercado encontramos empresas de todo tipo. Temos aquelas que sequer cumprem as obrigações legais, outras que se limitam a cumprir a legislação trabalhista e as que vão além, buscando implementar atrativos para capturar, reter e desenvolver talentos, fazendo a diferença por meio de incentivos negociados individualmente ou nas convenções coletivas.

Dessas negociações resultam condições diferenciadas de como as empresas cuidam de seus empregados, reunindo pacotes de benefícios que vão desde a estruturação de planos de cargos e salários para definição de remuneração fixa, justa e equitativa, remuneração variável em função dos resultados auferidos, participação nos lucros, podendo chegar em cessão de participação acionária (stock option), partindo da premissa de que quanto mais reconhecimento, maior será o engajamento, a produtividade e, consequentemente, os resultados.

As cooperativas compõem um nicho diferenciado de empresas, porquanto seus associados são, ao mesmo tempo, clientes e donos do negócio. Portanto, os funcionários de uma cooperativa, além cumprir o rito de entregar produtos e serviços de melhor qualidade para seus clientes, têm que produzir resultados que atendam as expectativas de seus donos. E, como normalmente os funcionários também podem se associar à cooperativa em que trabalham, geram um ciclo virtuoso em que a dedicação e os resultados se revertem também para eles mesmos, como “donos do negócio”.

Na COOPERFORTE não é diferente. Nossos funcionários são associados e usufruem dos resultados produzidos anualmente (sobras), além de contar com um pacote de benefícios comparável às grandes corporações e, na maioria dos itens, muito superior aos proporcionados por outras cooperativas.

No intuito de engajar pessoas com o propósito e o negócio da Cooperativa, e tendo como orientadoras as ações em foco no Dia C, – educação, saúde, bem-estar, e promoção do trabalho decente -, bem como a melhoria do nível do clima organizacional, o pacote de benefícios oferecido pela COOPERFORTE contempla atualmente 27 itens, dos quais somente 10 são exigidos por lei. E, mesmo assim, para esses 10 itens, as características dos benefícios foram ampliadas e, em sua grande maioria, incluídos no acordo coletivo de trabalho. Dentre as cooperativas de crédito pesquisadas, nenhuma delas se equipara à COOPERFORTE, seja na quantidade ou na qualidade dos benefícios.

Nossas ações voltadas para atender o Interesse pela Comunidade acontecem o ano todo, embora o Dia C seja comemorado apenas no primeiro sábado de julho. A Cooperativa – além de mantenedora do Instituto Cooperforte, que atua na preparação de pessoas em situação de vulnerabilidade social para inserção no mercado de trabalho -, também promove Ações Solidárias com o propósito de “Transformar realidades de pessoas e organizações, em sintonia com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU)”, tendo selecionado para este ano a participação em três eventos: Campanha do Agasalho (julho); Dia das Crianças (outubro) e; Natal 2023 (dezembro).

Para ampliar a atuação nesse contexto, estamos implementando o Comitê de Diversidade da COOPERFORTE, como mais um passo de fortalecimento da governança da Cooperativa, com a utilização de ferramentas e princípios do cooperativismo para acelerar a transformação de realidades, inclusão social, bem como o desenvolvimento das pessoas e a retenção de talentos, visando consolidar a COOPERFORTE como uma das maiores cooperativas de crédito do país. Afinal, o cooperativismo é apaixonante!

Edson Machado Monteiro – Diretor-Presidente da COOPERFORTE

Publicado em: 29 de junho de 2023